Drones e entregas

Drones e entregas: a revolução do delivery

As entregas com drones já estão acontecendo ao redor do mundo e até mesmo no Brasil (Pão to Go). Na China já existem empresas realizando entregas diariamente com drones. Além disso, a Amazon, com o projeto Drone Prime Air, tem investido muito tempo e dinheiro para tornar as entregas com drones uma realidade próxima.

Uma pesquisa da WorldPlay, conduzida pela Opinium, mostra que 53% dos brasileiros consumidores pela internet se mostram confortáveis com os drones como método de entrega. Da mesma forma, a pesquisa nos revela o potencial deste método para novos empreendimentos! Além disso, pesquisadores mencionam intenção de usar os drones como meio de combater o crescimento de fraude nas encomendas.

Esse aumento de compras online no Brasil aumentou o número de entregas, assim a expectativa de faturamento em 2021 será de 29,6 bilhões de reais. Ainda em 2017, o segmento de E-comerce cresceu 7,5%, faturando um total de 47,7 bilhões de reais. No entanto, em 2018 a expectativa era que esse número subisse para 12% gerando cerca de 53,5 bilhões de reais.

Afinal como funcionará o sistema de drones entregadores do futuro?

Como funciona entrega com drone

Antes de mais nada a primeira entrega com drone no Brasil foi feita pela empresa SMX. A SMX foi fundada por Samuel Salomão que também é CEO da empresa. Samuel declara que: “a ideia inicial é que seus drones sirvam para atender a área da saúde. Com isso ele pretende levar suprimentos hospitalares e remédios de uma forma mais ágil”. Ele também argumenta que “esse serviço poderá futuramente ser usado para fazer entregas de outros tipos de mercadoria”.

No entanto, ressalto que drones não são brinquedos, eles devem estar devidamente registrados na ANAC (Agencia Nacional de Aviação Civil), seguindo sua regulamentação e também a regulamentação de outros órgãos como o DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) e da Anatel (Agencia Nacional de Telecomunicação).

Em um ano foram registrados quatro casos em que aeroportos tiveram suas atividades interrompidas devido à proximidade de um drone no campo de trafego aéreo. O aeroporto de Congonhas, por exemplo, teve um prejuízo de 1 milhão de reais por ter parado por apenas uma hora suas atividades, segundo dados da ABEAR (Associação Brasileiras das Empresas Aéreas).

Entretanto, é interessante que a SMX antes dos testes com drones e entregas fizeram um programa de conscientização com a população da região sobre os drones. Isso é importante pois muitas pessoas não sabem como funciona um drone e não sabem como é o sistema de entregas com drones.

Veja o que diz Samuel: “diferente do que muitos pensam os produtos entregues por drones não vão até a casa da pessoa, e sim até um ponto específico, onde a pessoa terá que ir até local fazer a retirada da mercadoria”.

Os drones para entregas não podem ser os mesmos usados para lazer, drones para entregas precisam ser mais fortes. Os modelos testados pelo SMX por exemplo, tem um 1,5 de diâmetro, pesam 9 quilos, têm autonomia de 10KM, e isto com apenas uma carga de bateria.

Entregas com drones no Brasil

Surpreendentemente, a padaria Pão to Go está testando o sistema de entregas com drones em São Carlos, interior de São Paulo. Por enquanto a empresa ainda está na fase de testes, e para essa fase, a Pão to Go estabeleceu um peso máximo de 3,5KG, e as distâncias de entregas são em um raio de 1KM do local onde fica situada a padaria.

Ao mesmo tempo, a Pão to Go possui franquias em outras cidades do interior do estado de São Paulo e, segundo a empresa, caso o sistema funcione eles pretendem implantar os drones e entregas paras as demais filiais.

Para tal feito, eles planejam comprar drones suficiente e dar o devido treinamento para o condutor da aeronave, para cada uma das franquias.

Dessa forma o dono da empresa se mostra confiante e pondera: “acredito firmemente que o nosso projeto funcionará, por uma questão de custo; é muitos mais barato entregar com drones do que com um motoboy”. Ele ainda acrescenta: “vou mais longe e acredito que em um futuro próximo as pessoas terão o seu drone particular para fazer suas compras”.

Entregas com drones Amazon

Com a finalidade de iniciar testes com seu drone Prime Air, a Amazon aguarda sinal verde do FAA (Federal Aviation Adminitration), que continuam céticos quanto ao assunto de drones e entregas, e isso acaba impedindo de realizar o serviço de entrega por drone da Amazon.

Segundo consta, este projeto está sendo desenvolvido desde de 2013. Logo, o programa Prime Air já passou por várias transformações.

A Amazon sempre teve como missão realizar entregas cada vez mais rápidas aos seus clientes, e a possibilidade de drones e entregas surgiu dentro de várias ideias que a empresa explora para melhorar sua logística. Vale citar que a Amazon foi a primeira cogitar esta ideia de fazer entregas com drones!

O objetivo da Amazon é entregar o produto ao cliente em menos de uma hora após ele ter feito o pedido pelo site. Esta é a expectativa sobre o drone Prime Air, que é capaz de levar 2,26 quilos. Segundo levantamento, 85% das compras feitas na Amazon estão dentro dessa faixa de peso.

O drone Prime Air atinge uma altura de voo de 400 pés (120M), ou seja, não voa muito alto. Pensando nisso, foram instalados diversos sensores que permitem o drone desviar sozinho de prédios, postes, árvores e muitos outros obstáculos.

Por outro lado, estima-se que os produtos podem chegar em até 30 minutos, no entanto os drones para entrega de mercadoria só poderão fazer um pedido por vez, também só poderão atender clientes que estiverem em um raio de 16KM de onde está localizado o centro de distribuição.

A Amazon já trabalha em outros protótipos de drones com capacidade de chegar mais longe, então, muito provavelmente, o programa Prime Air desenvolvido pela Amazon terá diversos modelos de drones.

Em suma, parece que todo o projeto está alinhado. O que falta é a Amazon conseguir influenciar as autoridades estadunidenses a permitir os testes em áreas abertas para obter resultados mais conclusivos.

O que esperar para o futuro das entregas com drones

A JD.com na China já faz entregas com drones, mas em apenas algumas regiões, como as regiões montanhosa e remotas. Lá é comum ver um drone aqui e outro ali, levando algum pacote em seu suporte.

De acordo com Josh Gartner, vice-presidente de assuntos internacionais da JD: “nosso objetivo são as áreas rurais, onde não há uma boa infraestrutura e na qual o setor logístico não é desenvolvido, assim é mais barato enviar drones nestas localidades”.

Além disso, o executivo desabafa: “o maior desafio é o fornecimento de energia dos drones”, sendo assim os drones não levam mercadorias até o cliente final, a mercadoria vai para um encarregado na cidade, então um “promotor local” leva o produto até o cliente.

Devido ao alto controle do espaço aéreo pelo governo chinês, a JD não tem permissão para entregar em todo território de Pequim, e sim em apenas 4 de 30 regiões. Sendo elas a província de SICHUAN, JIANGSU, GUIZHOU e também nas regiões não urbanas nos arredores de Pequim.

O transporte para pessoas com drones foi desenvolvido primeiro na China. O país lidera na produção de drones para uso civil, tendo um total de 45 mil drones registrados, podendo esta estimativa ser muito maior.

Segundo dados IRESEARCH, o mercado de drones para a próxima década na China é de 11 bilhões por ano.

Por outro lado, a empresa de delivery, chamada WING, está lançando em Camberra na Austrália o seu primeiro serviço de drone e entregas, o qual já recebeu aprovação das autoridades competentes. Ao passo que a empresa tem parceria com diversos negócios locais cerca de 100 residências poderão utilizar o serviço de drone entregas.

A WING estipula que drones e entregas irão gerar de 21 a 28 milhões de dólares para os negócios da região. Até 2030 o serviço de entrega com drones serão responsáveis por 25% do consumo de mercadorias locais.

Afinal, e você leitor acha que o sistema de entrega com drones, é uma boa solução para a logística e a economia do país?

É interessante a iniciativa de muitas empresas de introduzir os drones aos poucos, realizando muitos testes para que a população possa ir se acostumando com esses pequenos objetos voadores pelos céus.

É importante testar para medir o quanto é seguro essa pequena aeronave voando sobre as pessoas, e se isso não vai impactar nas radiofrequências de nossos aparelhos, que dependem destas ondas eletromagnéticas para funcionar em seu estado normal.

Quem sabe se um surto de drones não poderia sobrecarregar e acabar atrapalhando a emissão de radiofrequências?

Enfim, há muito o que pensar sobre os drones e entregas, pois qualquer vacilo pode custar caro para nossos sistemas tradicionais.

No entanto, parece que estamos no caminho certo. Devagar o drones estão tomando espaço e cada vez mais se ajustando aos obstáculos que toda tecnologia nova enfrenta.

Quer receber mais conteúdos sobre drones gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.