Mercado de drones Mercado de drones

Mercado de drones: como surfar na crista da onda

7 minutos para ler

O mercado de drones tem crescido muito desde que a ANAC (Agencia Nacional de Aviação Civil) estabeleceu os regulamentos para uso de drones em 2017, para fins de recreação e uso profissional. De certo o uso de drones para fins profissionais tem crescido mais rápido e esse crescimento pode triplicar até 2023. Já os de uso para fins recreativos cresce de forma mais lenta.

Estima-se que os drones para uso recreativo são cerca de 900.000 aeronaves de um total de 1,2 milhões registrados no FAA, órgão semelhante a ANAC, porém é um órgão dos Estados Unidos. O FAA prevê que os drones para uso recreativo logo terão preços mais estáveis.

Por outro lado, os drones de uso profissional, o FAA apresenta uma quantia de 15 mil registros por mês, isso comparado ao mesmo período do ano passado é muito maior, e a tendência deste nicho do mercado de drones é só aumentar.

O uso de drones pelas empresas como Walmart, Amazon e Google nos Estados Unidos é voltada para testes para realizar entregas. Isso mesmo, essa possibilidade já está batendo em nossa porta. Já houve um caso de ser entregue um órgão para um paciente no hospital em Baltimore, certamente o uso de drones alavancará o setor logístico de muitos países.

Tipos de mercado para drones

Não é de admirar que o crescimento do mercado de drones no Brasil ganhou tamanha força, pois é uma maquina incrível.

Contudo, a ANAC registrou no Brasil 60 mil drones, quase 3 mil são registros de CNPJ de empresas e instituições de aplicações comerciais do mercado de drones. O setor emprega muitas pessoas e já movimentou em 2018, R$300 milhões.

O mercado para se trabalhar com drones é grande, no entanto há dois tipos de mercado para drones que são importantíssimos para a economia do Brasil e, que com o uso dos drones, terão um grande impacto em várias facetas dos seus processos.

Estou falando da construção civil e da agricultura.

A construção civil foi fortemente afetada pela crise financeira do Brasil, mas ela tem apresentado um vagaroso aumento no Índice de Confiança da Construção (ICST) de 2,0 pontos em 2017, fechando em 81,1 pontos desde 2015.

Também foi registrado um aumento no Índice de Expetativas (IE-CST) de 3,2 pontos, além disso este aumento influenciou o Índice da Situação Atual (ISA-CST) apontando um aumento de 0,9 pontos. Somando, o IE-CST fechou com 92,6 e o ISA-CST com 70,1.

Segundo economista da FGV Ana Maria Castelo, a retomada dos principais aspectos da construção civil se dará devido a fatores como estabilidade política e a recuperação da economia.

Por outro lado, na agricultura temos um bom cenário, pois mesmo na crise apresentou bons índices de crescimento, sendo este crescimento de 0,5% na renda do agronegócio, e ainda devido ao seu grande estoque de grãos, poderão ter condições de preços bem positivos para o agronegócio no Brasil.

Uma pesquisa feita em 2017 nos Estados Unidos sobre o uso da tecnologia de drones, mostrou que o retorno no setor da agricultura, 20% dos que investiram afirmam estar recebendo retorno, 27% estão neutros pois seu investimento é igual ao retorno que obtém, 25% ainda não alcançaram a margem para pelo menos alcançarem a neutralidade do investimento que tiveram e, por último, os outros 27% não sabem ou nunca usaram a tecnologia dos drones no setor em questão.

Como vimos, são dois setores do Brasil que estão retomando sua estabilidade econômica, exceto pela agricultura que se mostrou resistente e continua crescendo, mesmo diante da crise.

No entanto, ambos tiveram declínio, porém o uso de drones por este dois gigantes da economia, provavelmente poderá ajudar na retomada econômica, devido ao seu custo e sua praticidade.

Além destes dois setores, um estudo feito pela empresa PWC constatou que o mercado global de drones poderá movimentar 127 bilhões de dólares sendo 41% da infraestrutura, 26% da agricultura, 10% da logística, 8% da segurança, 7% do entretenimento, 5% dos seguros e 3% da mineração, portanto estamos com uma ótima oportunidade para quem desejar montar sua empresa no mercado de vendas de drones!

Como montar uma empresa de drones

Agora que já vimos como o cenário está receptível ao investimento no mercado de drones, podendo movimentar 1,5 bilhões de dólares ainda neste ano (2019), gerando cerca de 100 mil empregos de acordo com pesquisa da MUNDOGEO, que por sinal é pioneira na pesquisa do mercado drones no Brasil. Agora nos resta saber como montar uma empresa de drones!

Primeiro, é de suma importância ter um plano de negócio. Com um, você poderá se orientar e entender o que precisa ser feito, por exemplo, no plano você pode definir que serviço irá oferecer, questões financeiras e os recursos humanos que serão fundamentais para o desenvolvimento da empresa.

É interessante que se faça um levantamento geral dos investimentos que terá ao montar uma empresa de drones como:

  1. Material;
  2. Pagamento dos funcionários;
  3. Equipamentos;
  4. Maquinários;
  5. Aluguel ou compra do local (caso ainda não tenha um local para sua empresa).

Além disso, pesquisar seu público alvo, checar quem serão seus maiores concorrentes, estudar esses concorrentes ver qual o seu diferencial no mercado e também estar de olho aberto no mercado de drones e nas suas respectivas mudanças, novidades etc.

Tudo isso te deixará mais preparado.

Seu plano de negócio deve estar esquematizado da seguinte forma:

  1. Qual tipo de negócio;
  2. Quais os principais produtos e serviços;
  3. Quem será seu público alvo;
  4. Onde a empresa ficará situada;
  5. A quantia que pode investir;
  6. Quanto de faturamento mensal almeja alcançar;
  7. Quanto tempo espera que seu investimento comece apresentar retorno.

Os documentos requisitados no nosso país para abrir uma empresa são:

  1. Documentação de junta comercial;
  2. CNPJ (Cadastro de pessoa jurídica)
  3. Cópia do RG e CPF;
  4. Documento secretaria estadual da fazenda;
  5. IPTU do imóvel;
  6. Cópia do contrato de locação, compra ou venda
  7. Alvará de funcionamento.

É possível que peçam mais documentações que serão específicos de cada cidade. Além disso, ao abrir um estabelecimento é importante estar atento às normas trabalhistas e de segurança para evitar futuros transtornos. Lembre-se: um gasto com segurança nunca é um mau investimento, é uma garantia de não ter que despender de mais dinheiro no futuro.

Para que os drones são utilizados

Os drones são utilizados de diversas maneiras, podendo serem usados por fotógrafos para conseguir imagens de locais de difícil alcance, por YouTubers para realizar a filmagens de ângulos antes considerados ou somente possíveis por meio de um helicóptero.

O Facebook, por exemplo, está utilizando drones pra um projeto onde eles querem propagar a internet em todas as partes do mundo. A Amazon está testando os drones para utiliza-los como meio para fazer entregas de pacotes que podem chegar a 2,3 quilos.

Outro exemplo, agora no Brasil, especificamente no interior de São Paulo em São Carlos, uma padaria também tem feito testes com drones para entregar pão aos seus fregueses.

Devido ao seu tamanho e sua capacidade de estabilização no ar, exceto em condições climáticas adversas, o drone pode ser utilizado para encontrar pessoas desaparecidas, é muito útil em grandes catástrofes onde a área é muito extensa e de difícil acesso a aviões ou helicópteros.

Também pode ser crucial no salvamento de vítimas presas, podendo levar suprimentos para essas pessoas até que o resgate possa tira-las de lá.

Assim os drones podem ser utilizados de diversas maneiras e, sendo bem utilizado, sem más intenções podem ser uma ótima ferramenta que chegou para agregar nossa evolução.

Posts relacionados

Deixe um comentário